26 março 2008

...Nascimento da Matilde...

...Finalmente e após uma longa ausência aqui estou eu para dar novidades nossas.
Já tinha saudades de vir aqui escrever nem que seja para mais tarde recordar todos os momentos que antecederam o nascimento da luz dos meus olhos e o seu mês e meio de vida.
Do quase mês e meio que antecedeu ao nascimento da Matilde as novidades são poucas. Tive que passar em repouso e fui mesmo internada uma semana para controlar a minha diabetes.
Na ultima semana de Janeiro na consulta com a obstetra a cesariana ficou marcada para o dia 11 de fevereiro, dia em que completava 38 semanas. No entanto, a minha filhota não quis esperar e no dia 06 de Fevereiro decidiu dar o ar da sua graça.
No dia 05 passei-o todo no sofá com umas dores muito esquisitas e à noite fartei-me de vomitar; resolvi passar a noite em casa e se continuasse assim iria no dias seguinte ao hospital. Ainda hoje ao escrever este post me lembro da noite horrivel que tive e parece que nunca mais passava. De manhã lá me vesti com a ajuda da minha irmã, chamamos um táxi e lá fomos nós para as urgências do hospital Pedro Hispano.
Depois de passarmos pela triagem, lá seguimos para a urgência da obstetricia. Quando cheguei fui logo chamada para fazer o ctg. Quando acabou lá veio o obstetra que horas mais tarde fez vir a Matilde ao mundo, e uma semana mais tarde me salvou a vida. Depois de ver o traçado do ctg concluiu que eu não tinha contracções mas que a minha pipoquinha estava muito paradinha, mandou-me passar para outra sala para me poder observar. Depois de me fazer o toque chegou à conclusão que já tinha 80% do colo do utero aberto e que, por isso, a princesa iria nascer nesse dia. Como tinha tomado o pequeno almoço a cesariana ficou agendada para as 16h00.
A minha irmã já estava numa grande ansiedade na sala de espera e o meu amorzito quando lhe liguei ficou logo todo emocionado com o facto de ser aquele o dia de irmos conhecer a nossa princezinha.
Depois de me ser administrada a epidural lá ficamos à espera da hora de ir para o bloco. Por volta das 17h00 lá descemos, claro está que o meu maridinho foi connosco até onde lhe foi permitido.
A cesariana correu bem e às 17h45 já tinha a minha menina à minha beira por uns escassos 5 minutos. Acreditem, foi o Melhor Momento da minha Vida.
A Matilde depois veio para cima para ser lavada e para mamar e foi aí que as coisas começaram a andar para trás. A minha pipoquinha não conseguia beber e respirar ao mesmo tempo, tiveram que lhe aspirar os pulmões e tinha as glicemias muito baixas, por tudo isto, a pediatra achou melhor e por precaução ela ir para a neonatologia. Ao fim de estar quase 4 horas no recobro vinha toda feliz porque finalmente ia poder estar com a minha menina e com o meu marido, mas ao chegar à beira da enfermeira e ao perguntar como estava a minha filhota ela disse-me que ela apesar de estar bem tinha ido para a Neo como uma medida de precaução. Fiquei tão desorientada que parece que tinha levado com uma balde de água fria.
Quando cheguei à enfermaria fiquei tão triste porque vi a 1ª. roupinha dela no berço e vi-o lá vazio. Foi esse mesmo vazio que senti.
Na 5ª. feira logo de manhã pedi logo à enfermeira para me deixar ir ver a minha menina, e assim foi. Passei o dia todo lá à beirinha dela, quase não podia estar de pé, mas por outro lado, não conseguia sair de lá.
A partir de 6ª. feira as coisas começaram a correr para trás, comecei a ter febres altas e os meus intestinos teimavam em não funcionar. Até Domingo pouco ou nada vi a Matilde porque não conseguia andar. No Domingo veio um cirurgião para ver a minha situação e depois de fazer um TAC resolveram-me administrar uns antibióticos para ver se os intestinos iriam funcionar. Realmente nessa noite os intestinos funcionaram e logo na 2ª. feira e manhã estava na Neo à beira da minha menina. No entanto, as febres altas mantinham-se e mantiveram-se assim até 4ª. feira lçtura em que passou o obstetra que me fez a cesariana e que reparou que eu tinha a ferida da cicatriz infectada.
Para abreviar fiquei 26 dias internada com uma infecção hospitalar bastante rara com direito a isolamento e tudo. Desde a cesariana da Matilde fui operada mais 2 vezes, uma para me ser retirada toda a infecção e a outra para me fechar a ferida, pois durante 5 dias teve que ficar aberta com placas de carvão activado.
Agora vendo bem as coisas sei que foi p mwu obstetra que me salvou a vida e a ele lhe devo o facto de estar aqui à beira da minha filhinha.
Hoje ao escrever isto ainda fico com um nó na garganta, mas agora já passou o mau tempo. Foram 26 dias horriveis de grande sofrimento, mas o que me fez sempre ter força foi o olhar todos os dias para a minha filha e ao amor que o Amor da Minha Vida sempre me depositou. A minha maninha também foi adorável, foi um grande apoio, a Ti minha maninha muito obrigada.
Hoje, a minha filhinha enquanto eu escrevo tudo isto está ao colo da madrinha, a minha irmã, com uma serenidade que a marca desde o 1º. dia.
Amo-a cada dia mais e não consigo ver a minha vida sem ela. Apesar de todo o sofrimento que passei para a ter nos meus braços, isso já está tudo esquecido.
A minha filha é fruto de um grande amor e de uma grande luta.
Agora que já está tudo mais calmo prometo que virei aqui sempre de possível escrever novidades do desenvolvimento da vossa Sobrinha.
Beijinhos a todas as titis da Matilde.
Até breve,
Carla e Matilde.